Notícias daqui!

Informações do Amazonas e do Mundo!

Implantação de centros de tecnologias educacionais melhoram desempenho de alunos da rede pública

Rede municipal de ensino de Manaus possui 236 CTEs, espaços formais de aprendizagem, compostos por aplicativos educacionais conectados à internet. Mais de 90 mil alunos são beneficiados hoje

Mais de 90 mil alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental, Educação de Jovens e Adultos (EJA), indígenas e Especiais, em toda a rede municipal de ensino da capital do Amazonas, estão tendo acesso a atividades didáticas com a utilização de recursos digitais. Os Centros de Tecnologias Educacionais (CTE), gerenciados pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) começaram a ser implantados em 2021 e hoje já são 236, número que, de acordo com prefeitura deverá chegar a 241 no segundo semestre deste ano.

 Os CTEs são espaços formais de aprendizagem, compostos por aplicativos educacionais conectados à internet. A finalidade deles é promover um ambiente adequado à realização de oficinas e atividades socioeducativas para alunos e educadores, buscando a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem.

“Nenhum gestor, na atualidade, pode dissociar a educação dos avanços tecnológicos. Eles são fundamentais no processo educacional. Nossa proposta é preparar os alunos da rede municipal de educação para que concorram, em igualdade de condições, com os estudantes da rede particular, às oportunidades de acesso em exames, concursos e, futuramente, ao mercado de trabalho. Para isso, estamos criando as condições permitindo que, desde as séries iniciais, eles tenham contato com os recursos digitais”, destaca o prefeito de Manaus, David Almeida.

Mudança para a modernidade

Com a implantação dos CTEs, houve a substituição dos antigos 219 Telecentros em 2020, oriundos das administrações anteriores, com poucas máquinas, além de obsoletas. Foram adquiridos três mil computadores desktops, distribuídos para os 236 CTEs.

Também foram investidos recursos na aquisição de 11 tablets, para as escolas que não possuíam os espaços, aumentando, ainda mais, não só o uso dos recursos digitais educacionais, mas ampliando a inclusão digital entre os docentes. A dificuldade de conexão à internet, em casa, para muitos alunos, é suprida nas unidades de ensino do município, que asseguram o acesso à cultura digital.

Resultado positivo

Carlos Fabrício, aluno do 5º ano da escola municipal Maria Rufina de Almeida, bairro Alvorada, zona Oeste, garante que aprendeu muito ao usar o espaço do CTE como reforço para suas atividades em sala de aula.

 “Eu acho muito legal, porque eu vim de outra escola e quando cheguei aqui em uma escola municipal, vi que tinha computadores e tablets e comecei a me interessar pelos projetos. Daí comecei a participar criando robôs e tudo mais. A gente ficou em segundo lugar na Exposição de Ciências, Robótica, Educação Ambiental, Tecnologia e Inovação (Expocreati) da Semed. Aqui, a gente consegue aprender na base da diversão”, concluiu.

 Outro estudante que usufruiu muito dos recursos utilizados no CTE, foi o aluno do 9º ano, Eliseu Sales, da escola municipal Ana Sena Rodrigues, no bairro Colônia Terra Nova, zona Norte. Para ele, é algo que jamais vai esquecer, porque foi uma chance que aproveitou e teve bons resultados em seu aprendizado.

 “Eu estou gostando muito desse projeto, que vem me ajudando, por meio do acesso tecnológico que disponibiliza para mim e os alunos, como por exemplo, a plataforma Super Ensino, por meio da computação e dos tablets. Isso vem me ajudando dentro da sala de aula, e até fora, como o prêmio da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), que recebi duas menções honrosas consecutivas”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *