Gestantes de alto risco de 11 municípios amazonenses serão atendidas com teleconsultas pelo HUGV

Primeiras cidades contempladas serão São Gabriel da Cachoeira, Manacapuru e Barcelos, já a partir do próximo mês

A Universidade Federal do Amazonas (Ufam), por meio do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV/Ebserh), e o Ministério da Saúde, firmaram parceria para implantar um serviço de teleatendimento especializado, com consultas para gestantes de alto risco no interior do Amazonas. O objetivo, é reduzir o índice de mortalidade materna em 11 municípios do Estado.

Os municípios atendidos serão, além da capital, Manaus, Manacapuru, Maués, Coari, Itacoatiara, Tabatinga, São Gabriel da Cachoeira, Barcelos, Tefé, Parintins e Jutaí. Os primeiros a serem contemplados já a partir de agosto serão São Gabriel da Cachoeira, Manacapuru e Barcelos.

Uma equipe formada por sete médicos obstetras especialistas incluindo professores da Ufam e egressos da Residência de Ginecologia e Obstetrícia do HUGV/Ebserh, farão os atendimentos em parceria com os profissionais das prefeituras, informa a coordenadora do projeto, médica Ione Brum, que é professora da Faculdade de Medicina.

Há ainda a participação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), que tem expertise e atuação consolidada com a plataforma de telemonitoramento e o governo do Estado do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) que alinham às necessidades junto aos municípios.

O coordenador do Telessaúde do HUGV, médico Pedro Elias de Sousa, destacou o ineditismo do projeto, que vai contribuirá para a redução da incidência de mortalidade materno-infantil no Amazonas.

Da redação

Fotos: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.