Arcebispo de Manaus, dom Leonardo Steiner, é nomeado cardeal pelo Papa Francisco

Religioso que comanda a Igreja Católica na capital amazonense compõem a lista de 21 novos cardeais divulgada pelo Vaticano, neste domingo

O arcebispo de Manaus, dom Leonardo Ulrich Steiner, é um dos dois brasileiros escolhidos pelo Papa Francisco na lista de 21 novos cardeais divulgada pelo Vaticano, neste domingo (29/05).  O segundo brasileiro escolhido pelo Papa é o atual arcebispo de Brasília, dom Paulo Cezar Costa. A ascensão dos dois será no Consistório, em 27 de agosto, no Vaticano.

O Consistório é uma reunião, feita com todos os cardeais, inclusive os novos que foram anunciados durante evento deste domingo, no Vaticano, para dar assistência ao Papa nas suas decisões. Eles assessoram diretamente o papa em questões administrativas e econômicas, e se tiverem menos de 80 anos, ficam responsáveis por eleger um novo papa.

Considerado atualmente um dos mais experientes integrantes do episcopado brasileiro, dom Leonardo Steiner é o primeiro cardeal da Amazônia brasileira, o que é um gesto simbólico do Papa Francisco para demostrar sua preocupação com a questão ambiental. Dom Leonardo foi por duas vezes secretário-geral da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e antes de ser arcebispo em Manaus, foi bispo-auxiliar de Brasília.

Em post na internet, o prefeito de Manaus, David Almeida, parabenizou o arcebispo da capital.

“É com muita alegria e honra que parabenizo dom Leonardo, arcebispo metropolitano de Manaus, anunciado neste domingo, como novo cardeal do Vaticano. Sua dedicação em cuidar da igreja certamente fará diferença em sua nova missão junto ao povo fiel”, disse Almeida em suas redes sociais.

Durante o agravamento da pandemia de covid-19 em Manaus, o religioso, à frente de um grupo de padres da Arquidiocese de Manaus, levou auxílio espiritual às famílias que perderam seus entes para o novo coronavírus, assegurando conforto no momento de despedida, no cemitério Nossa Senhora Aparecida, no Tarumã, zona Oeste.

De acordo com o Vatican News, entre os 21 novos cardeais, também estão o arcebispo de Dili (Timor Leste), dom Virgílio do Carmo da Silva, e o prefeito apostólico de Ulaanbaatar (Mongólia), dom Giorgio Marengo, de apenas 48 anos, que será o mais jovem do Colégio Cardinalício.

Foto – Ruan Souza / Arquivo – Semcom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.