Com apoio da Fapeam, alunos de escola pública da zona Leste desenvolvem projeto de robótica sustentável

Estudantes da Escola Municipal Carolina Perolina Raimunda Almeida, zona Leste de Manaus, criam protótipo de carro a partir de palito de picolé, papelão, garrafa PET, latas de sardinha e de refrigerante

Materiais descartáveis ganharam nova utilidade com a aplicação do projeto “Brincadeira tecnológica: confecção de carrinho de arduino na educação física escolar”. A proposta apoiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), por meio do Programa Ciência na Escola (PCE), foi desenvolvida pelos estudantes do Ensino Fundamental da Escola Municipal Carolina Perolina Raimunda Almeida, zona Leste de Manaus.

A iniciativa uniu robótica e sustentabilidade, contribuindo para aprendizagem dos alunos em relação ao conteúdo de ciências da natureza de forma descontraída e didática, resultando na criação de variados protótipos de carrinhos a partir de matéria-prima como palito de picolé, papelão, garrafa PET, latas de sardinha e de refrigerante. A iniciativa também popularizou conceitos e nomenclaturas da linguagem científica para o cotidiano.

“O protótipo principal foi criado em um processo progressivo, conforme o entendimento da montagem, da programação e da carenagem do carrinho. O carro foi montado com arduino, palito de picolé, cola, ponte H, Bluetooth, servomotor, resistores, lâmpadas de LED, fios e bateria de 12V”, explicou Ana Martins, coordenadora do projeto.

Equipe e duração

Na primeira etapa do projeto, antes da confecção dos carrinhos, a professora realizou entrevistas com os pais e familiares dos alunos para analisar a importância das atividades criativas e lúdicas no ambiente escolar.

“Esse projeto possibilitou o resgate de brincadeiras e brinquedos da infância, contribuindo com a interação entre gerações e desenvolvendo a criatividade”, celebrou.

Iniciadas em julho de 2021, as atividades ocorreram até dezembro do ano passado e contam com a participação direta de alunos do Ensino Fundamental, em todo o processo de criação e exposição dos resultados.

Ciência na Escola

O PCE apoia a participação de professores e estudantes do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental, da 1ª à 3ª série do Ensino Médio e suas modalidades: Educação de Jovens e Adultos, Educação Escolar Indígena, Atendimento Educacional Específico e Projeto Avançar, em projetos de pesquisa desenvolvidos em escolas públicas estaduais sediadas no Amazonas e municipais de Manaus.

Foto: Acervo pessoal de Ana Martins

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.